Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Café com a Presidenta > Café com a Presidenta > Programa de rádio “Café com a Presidenta”, com a Presidenta da República, Dilma Rousseff

Programa de rádio “Café com a Presidenta”, com a Presidenta da República, Dilma Rousseff

por Portal do Planalto publicado 01/10/2012 08h37, última modificação 03/11/2014 17h28
Presidenta Dilma fala sobre a campanha de redução da violência no trânsito

Rádio Nacional, 1º de outubro de 2012


 

Luciano Seixas: Olá, você, em todo o Brasil, eu sou o Luciano Seixas e começa agora mais um Café com a Presidenta Dilma. Bom dia, presidenta!

Presidenta: Bom dia, Luciano! E bom dia para você que nos acompanha aqui no Café!

Luciano Seixas: Presidenta, hoje, eu queria conversar com a senhora sobre a campanha de redução da violência no trânsito, esse que é um problema tão grave.

Presidenta: Olha, Luciano, nós estamos fazendo uma grande mobilização para reduzir o número de acidentes nas estradas e nas cidades. Não sei se você sabe, Luciano, mas 42 mil pessoas perdem a vida todos os anos em acidentes de trânsito no Brasil. É um número devastador. É por isso que lançamos o Pacto Nacional pela Redução de Acidentes, o Parada. Eu, inclusive, conversei sobre esse pacto com o secretário-geral da ONU, o Sr. Ban Ki-moon, quando estive em Nova Iorque, na semana passada. A ONU lançou a Década Mundial de Ação pela Segurança no Trânsito. Sabe qual é o objetivo, Luciano? É tentar reduzir pela metade as mortes no trânsito em todos os países até 2020. Aqui no Brasil, nós vamos participar desse esforço mundial pela redução das mortes no trânsito.

Luciano Seixas: Esse é mesmo um esforço que vale a pena, não é, presidenta?

Presidenta: Ah, vale muito, Luciano, porque os acidentes de trânsito se tornaram uma verdadeira epidemia. O mais triste é que, no Brasil, metade das vítimas é formada por jovens, com idade entre 15 e 39 anos. São perdas irreparáveis para as famílias, para os amigos e para o país. A dor da mãe que perde o filho em um acidente é inimaginável. Veja, por exemplo, o caso da atriz Cissa Guimarães, que esteve comigo no Palácio do Planalto, no dia do lançamento da campanha. Sabe, Luciano, a Cissa perdeu o filho Rafael, de apenas 18 anos, atropelado em um túnel por um motorista que estava andando em alta velocidade. Ela me contou como é conviver com a dor dessa perda, é uma dor imensa, principalmente porque a gente sabe que algumas atitudes poderiam evitar boa parte desses acidentes. Por isso, nós estamos convocando artistas, esportistas, empresários, governadores, prefeitos e todos os brasileiros a participar desse pacto pela vida.

Luciano Seixas: E como vai ser essa mobilização, presidenta?

Presidenta: Nós vamos fazer uma ampla campanha de conscientização, inclusive com a parceria da Federação Internacional de Automobilismo, que organiza as corridas de Fórmula 1. O nosso objetivo é incentivar os brasileiros a mudar o comportamento no trânsito. Nós temos que evitar que o motorista dirija em alta velocidade, que o motorista pegue o volante depois de beber. Sempre lembrando também, Luciano, que todos precisam usar o cinto de segurança. Além disso, nós estamos realizando obras para melhorar as rodovias de todo o país. Com o Plano de Investimentos em Logística, vão ser investidos R$ 42 bilhões para duplicar e modernizar mais de 7.500 km de rodovias. Também, Luciano, estamos investindo quase R$ 40 bilhões para melhorar o transporte coletivo nos grandes centros urbanos do país. Precisamos ainda adaptar a legislação para punir com mais rigor quem adota comportamentos de risco no trânsito, porque você sabe, quem comete uma imprudência no trânsito não está colocando em risco só a própria vida, mas também está colocando em risco a vida dos outros.

Luciano Seixas: Presidenta, a gente tem visto muitos acidentes com motos nas estradas e nas cidades.

Presidenta: Olha, Luciano, os motociclistas são, hoje, as grandes vítimas da violência no trânsito. A cada ano, 10 mil motociclistas morrem nas ruas e nas estradas do país. Comprar uma moto, muitas vezes, é uma grande vitória. Para você ter uma ideia, no Brasil, o número de motos cresceu mais de três vezes nos últimos dez anos, e em algumas cidades do interior já existem muito mais motos, Luciano, do que carro. O problema é que muitas pessoas compram as motos, mas esquecem que somente devem conduzi-las depois de um treinamento adequado e de ter a Carteira de Habilitação. É preciso também, Luciano, usar equipamentos de segurança, como o capacete.

Luciano Seixas: Presidenta, como esse pacto, o Parada, vai ajudar estados e municípios a diminuir os acidentes no trânsito?

Presidenta: Nós vamos reforçar as campanhas de educação no trânsito e também apoiar as ações de fiscalização, inclusive, Luciano, transferindo recursos para os estados e municípios quando isso for necessário. Até o final deste ano, vamos começar a distribuir 1 milhão de bafômetros para ajudar os Detrans de todo o país em suas ações de fiscalização. A parceria de todos – governo e sociedade – é fundamental para mudar a atitude dos brasileiros no trânsito. Hoje, como a renda das famílias aumentou, temos muito mais carros e motos circulando pelas ruas e estradas no Brasil. Por isso, nós temos a obrigação de aumentar a segurança no trânsito para proteger a vida.

Luciano Seixas: Presidenta, infelizmente, o nosso tempo hoje chegou ao fim. Obrigado por mais esse Café.

Presidenta: Obrigada, Luciano. Uma boa semana para você e para os nossos ouvintes!

Luciano Seixas: Você que nos ouve pode acessar este programa na internet, o endereço é www.cafe.ebc.com.br. Nós voltamos na próxima segunda-feira, até lá!

 

Ouça a íntegra da entrevista (06min05s) da Presidenta Dilma