Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Café com a Presidenta > Café com a Presidenta > Programa de rádio “Café com a Presidenta”, com a Presidenta da República, Dilma Rousseff

Programa de rádio “Café com a Presidenta”, com a Presidenta da República, Dilma Rousseff

por Portal do Planalto publicado 03/09/2012 08h44, última modificação 03/11/2014 17h28
Presidenta Dilma fala sobre a Olimpíada Brasileira de Matemática e o programa TI Maior

 

Rádio Nacional, 03 de setembro de 2012


 

Luciano Seixas: Olá, bom dia! Eu sou o Luciano Seixas e estou aqui para mais um Café com a presidenta Dilma. Bom dia, presidenta!

Presidenta: Bom dia, Luciano! E um bom dia aos ouvintes que nos acompanham aqui no Café.

Luciano Seixas: Presidenta, hoje, eu queria conversar com a senhora sobre a Olimpíada Brasileira de Matemática, que mobiliza estudantes de todo o país.

Presidenta: Olha, Luciano, mais de 18 milhões de alunos, de 44 mil escolas públicas de todo o país, participaram da Olimpíada da Matemática. Eu fui ao Rio, Luciano, prestigiar a premiação dos 500 estudantes, que do sexto ao nono ano do Ensino Fundamental e dos três anos do Ensino Médio, foram receber suas medalhas de ouro. Foi uma festa, sem dúvida, Luciano, muito bonita, cheia de histórias de superação de jovens, batalhadores e determinados. Sabe, Luciano, a Olimpíada da Matemática vem sendo realizada no Brasil há oito anos, e a cada ano aumenta o número de estudantes que querem concorrer. É muito importante isso, porque estimula o aprendizado da matemática, uma matéria que é fundamental para o raciocínio lógico, é necessária para que a gente faça ciência e desempenhe bem qualquer função no trabalho e na própria vida. Com esse estímulo, o aluno melhora a capacidade de pensar e de entender problemas e enfrentá-los.

Luciano Seixas: Presidenta, a matemática também é muito importante para a produção científica e a inovação, não é?

Presidenta: Olha, Luciano, a matemática é o primeiro passo para o desenvolvimento científico e para a inovação tecnológica, porque a matemática é a base de todas as ciências e é fundamental para o aprendizado das engenharias, da física, da tecnologia da informação, da ciência dos computadores, por exemplo. A matemática ajuda a despertar o interesse dos nossos jovens pela ciência e pelo conhecimento. Veja a história do Eduardo Santos, lá de Maceió, em Alagoas. O Eduardo acabou de completar 21 anos, ele ganhou medalha de ouro na Olimpíada Matemática de 2011. Foi a última Olimpíada do Eduardo, porque ele agora já está na faculdade estudando Física na Universidade Federal de Alagoas. O Eduardo tem tanta vontade de estudar, que ele fez a inscrição para o Ciência sem Fronteiras, e foi selecionado e vai para uma universidade na Espanha esse mês. Sabe, Luciano, o povo brasileiro é muito criativo, cheio de ideias novas. Se a gente juntar essa criatividade intuitiva com o conhecimento científico, com a matemática, o resultado é fantástico, é invenção, é a descoberta de um novo produto ou de uma nova forma de fazer, por exemplo. Por isso, nós lançamos, no ano passado, o Ciência sem Fronteiras, que vai levar universitários como o Eduardo para estudar nas melhores universidades do mundo.

Luciano Seixas: Por falar em inovação, o governo lançou o programa TI Maior, ou Tecnologia da Informação Maior, para estimular as indústrias de softwares no país, não é, presidenta?

Presidenta: Bem lembrado, Luciano. Com o programa estratégico de software e serviços de tecnologia da informação, o TI Maior, nós vamos investir R$ 500 milhões para estimular o desenvolvimento e a produção de software no Brasil. O software está em todo o lugar: no computador, no celular, no carro, nos caixas eletrônicos dos bancos ou até em uma sonda que tira petróleo lá do fundo do mar, na camada pré-sal. Nós temos, no Brasil, quase 9 mil empresas que desenvolvem softwares, e nós queremos ampliar esse número. Por isso vamos investir nas pequenas empresas de tecnologia, que geram muitos empregos, principalmente contando com jovens que têm uma imensa capacidade de criar. Uma das medidas mais importantes desse programa é que nós vamos oferecer cursos para 50 mil trabalhadores do setor de tecnologia da informação.

Luciano Seixas: Isso vai permitir um salto dessa indústria no Brasil, não é mesmo, presidenta?

Presidenta: É, Luciano, esse é o nosso objetivo. Por isso, nós lançamos várias medidas dentro do programa Brasil Maior – nosso programa de política industrial – para fortalecer e ampliar a indústria de tecnologia da informação no nosso país. Uma das ações mais importantes do Brasil Maior é a redução do valor que as empresas de softwares e de tecnologia da informação pagam à Previdência. Isso é o que chamamos de desoneração da folha de pagamento, e ela é importante porque reduz o custo do trabalho e aumenta a competitividade das empresas. Olha só, Luciano, nós reduzimos o custo da produção sem diminuir os direitos dos trabalhadores. Nós também reduzimos os impostos para as empresas que queiram produzir semicondutores e tablets no Brasil. Sabe, Luciano, nós já demos um grande salto quando elevamos 40 milhões de pessoas para a classe média. Agora, esse país tem o desafio de conseguir erradicar a pobreza e, ao mesmo tempo, produzir ciência e tecnologia, agregar valor à sua produção e inovar. Esse é o caminho para o Brasil chegar à economia do conhecimento e se encaminhar cada vez mais para ser uma grande nação.

Luciano Seixas: Presidenta, infelizmente, o nosso tempo hoje chegou ao fim. Obrigado por mais esse Café.

Presidenta: Obrigado, Luciano. Uma boa semana para você e para todos os nossos ouvintes. Até a semana que vem!

Luciano Seixas: Você que nos ouve pode acessar esse programa na internet, o endereço é www.cafe.ebc.com.br.