Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Café com a Presidenta > Café com a Presidenta > Programa de rádio “Café com a Presidenta”, com a Presidenta da República, Dilma Rousseff

Programa de rádio “Café com a Presidenta”, com a Presidenta da República, Dilma Rousseff

por Portal do Planalto publicado 20/08/2012 08h46, última modificação 03/11/2014 17h28
Presidenta Dilma fala sobre o Programa de Ensino Integral Mais Educação, que está levando as escolas públicas de todo o país a ter dois períodos diários e obrigatórios de curso

Rádio Nacional, 20 de agosto de 2012


 

 

Luciano Seixas: Olá, bom dia! Eu sou o Luciano Seixas e começa agora mais um Café com a Presidenta Dilma. Bom dia, presidenta!

Presidenta: Bom dia, Luciano! E um bom dia aos ouvintes que nos acompanham aqui no Café!

 

Luciano Seixas: Presidenta, hoje, eu queria conversar com a senhora sobre o Programa de Ensino Integral Mais Educação, que está levando as escolas públicas de todo o país a ter dois períodos diários e obrigatórios de curso.

Presidenta: Sabe, Luciano, todo país que se desenvolveu, que saiu da condição de país pobre e que se mantém na condição de país desenvolvido, apostou na educação em tempo integral para todas as crianças. É isso que estamos fazendo com o Programa de Ensino Integral Mais Educação. O nosso objetivo é ampliar o tempo de estudo da criança e do jovem na escola, com maior acompanhamento dos professores. E, assim, ao mesmo tempo, estamos assegurando acesso à alimentação de qualidade e ao esporte.

Luciano Seixas: O programa está chegando às crianças que mais precisam, presidenta?

Presidenta: Está sim, Luciano. Desde o lançamento do Brasil sem Miséria, o governo está fazendo um grande esforço para levar o Programa Ensino Integral Mais Educação o mais rapidamente para as escolas onde estão as crianças mais pobres, aquelas que recebem o Bolsa Família. Essas escolas, Luciano, passaram de 5.300, no ano passado, para quase 18 mil, agora em 2012. Se você considerar, Luciano, que hoje nós temos 32 mil escolas públicas com ensino integral em todo o país, essas 18 mil escolas, com maioria de alunos do Bolsa Família, significam mais da metade de todas as escolas públicas com tempo integral. É uma conquista, Luciano. A nossa prioridade é levar a educação integral para as famílias e as regiões mais pobres. Sabe por quê, Luciano? Porque, para uma família sair da miséria, vários caminhos são possíveis, mas dois são os mais importantes e necessários. Para os adultos, um emprego ou uma atividade que gere renda; e para as crianças e os jovens, a educação, a educação e mais educação.

Luciano Seixas: Como funciona o Programa Ensino Integral Mais Educação nas escolas, presidenta?

Presidenta: Olha, Luciano, os alunos têm acompanhamento pedagógico obrigatório no turno complementar das aulas, os professores ajudam nas tarefas, tiram dúvidas e reforçam, com aulas, o aprendizado, principalmente de português e matemática. O interessante, Luciano, é que, muitas vezes, esse acompanhamento é feito também nas atividades fora da sala de aula. Por exemplo, quando o aluno joga xadrez, ele exercita o raciocínio lógico, o que ajuda no aprendizado da matemática. A música e o esporte, Luciano, ajudam na concentração e na disciplina. Todas essas atividades aumentam o interesse do aluno pela escola e melhoram a autoestima da criança. Em muitas escolas do Programa Ensino Integral Mais Educação, o acompanhamento pedagógico é feito nas oficinas de alfabetização, leitura e redação. Para você ver como estamos mudando a vida dessas crianças, eu vou te contar a história da Yasmim Izidro, que mora lá em Patos, na Paraíba, e estuda na Escola Municipal Senador Humberto Lucena. A Yasmim tem 13 anos, e a mãe da Yasmim, a Dona Marinalva, recebe o Bolsa Família. A Yasmim andava muito desmotivada com os estudos, a maior dificuldade da Yasmin era com o português, Luciano. Mas como a escola dela tem o Programa Ensino Integral Mais Educação, a Yasmim começou a participar da oficina de letramento. Lá na oficina, ela foi melhorando a escrita, passou a ler mais e, hoje, ela conta, animada, que aprendeu a escrever as palavras de forma correta. O Ideb, que é o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, mostra que o aprendizado melhorou muito nas escolas com tempo integral. A escola da Yasmin, por exemplo, que tem os 120 alunos no horáio integral, passou de 3,8 para 5, em dois anos.

Luciano Seixas: E por falar em Ideb, presidenta, nós tivemos boas notícias essa semana, não é?

Presidenta: É verdade, Luciano. Nos anos iniciais do Ensino Fundamental, o Brasil teve nota 5 no Ideb Nacional, superando a meta de 2011 e também a de 2013. Nós tivemos bons resultados também, Luciano, nos anos finais do Ensino Fundamental. O Ideb atingiu 4,1, também acima da meta para 2011. Mas, além de continuar avançando no Ensino Fundamental, temos um grande esforço a fazer no Ensino Médio. Por isso, a educação em tempo integral é tão importante, principalmente quando, junto com ela, vem a melhora dos currículos que nós estamos fazendo no Ensino Médio. Várias ações, como o Programa Ensino Fundamental Mais Educação, estão ajudando a melhorar a qualidade da educação no nosso país. A escola pública pode, sim, ser uma boa escola e esta vitória também é dos nossos professores.

Luciano Seixas: Presidenta, infelizmente, o nosso tempo chegou ao fim. Obrigado por mais esse Café.

Presidenta: Eu é que agradeço a sua companhia, Luciano, e a dos nossos ouvintes. Até a semana que vem!

Luciano Seixas: Você que nos ouve pode acessar o Café com a Presidenta na internet. O endereço é www.cafe.ebc.com.br. Nós voltamos na próxima segunda-feira. Até lá!

 

Ouça a íntegra da entrevista (06min04s)da Presidenta Dilma