Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Café com a Presidenta > Café com a Presidenta > Programa de rádio “Café com a Presidenta”, com a Presidenta da República, Dilma Rousseff

Programa de rádio “Café com a Presidenta”, com a Presidenta da República, Dilma Rousseff

por Portal do Planalto publicado 18/06/2012 08h57, última modificação 03/11/2014 17h27
Presidenta Dilma fala sobre a Rio+20

Rádio Nacional, 18 de junho de 2012

 

Luciano Seixas: Olá, você em todo o Brasil, eu sou o Luciano Seixas e estou aqui para mais um “Café” com a presidenta Dilma. Bom dia, Presidenta.

Presidenta: Bom dia, Luciano. E bom dia a você, ouvinte, que nos acompanha aqui no “Café”.

Luciano Seixas: Presidenta, hoje vamos falar sobre a Rio+20. Explica para a gente qual é a importância desse encontro.

Presidenta: Olha, Luciano, esse encontro é muito importante. Representantes de 190 países estarão no Rio de Janeiro para a Rio+20, a Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, que vai discutir o futuro do nosso planeta. A partir de quarta-feira, na reunião de cúpula da Conferência Rio+20, nós vamos ter 94 chefes de Estado e de governo. Além deles, trabalhadores, cientistas, empresários, comunidades indígenas e organizações não governamentais de todo o mundo estarão participando da Rio+20. Todos estão em busca de um caminho para que os países possam manter o crescimento econômico com inclusão social e, ao mesmo tempo, proteger e preservar o meio ambiente. Desenvolvimento sustentável é isso, Luciano, são esses três verbos: crescer, incluir e proteger. Essas três ações combinadas não apenas são desejáveis, elas são possíveis.

Luciano Seixas: E por que a Conferência se chama Rio+20, Presidenta?

Presidenta: Olha, Luciano, essa Conferência chama-se Rio+20 porque ela acontece 20 anos depois da Rio-92, que foi um dos maiores e mais importantes eventos já realizados para discutir a questão do meio ambiente do planeta. Sabe, Luciano, a Rio-92 foi o primeiro passo dado para incluir, na agenda dos países, a proteção ao meio ambiente. Vinte anos depois, o que é que a gente constata? Que houve avanços importantes, mas, também, que ainda há muito a ser feito. Agora, na Rio+20, os países vão discutir novos caminhos e assumir responsabilidades para alcançar o desenvolvimento sustentável. Essas responsabilidades são comuns a todos, mas têm que ser diferenciadas de acordo com a situação econômica, social e cultural de cada país.

Luciano Seixas: O Brasil tem muitas experiências interessantes a apresentar na Rio+20, especialmente na área da energia renovável, não é, Presidenta?

Presidenta: Com certeza, Luciano, com certeza. O Brasil tem iniciativas muito importantes que são exemplo para todo o mundo no uso de energia renovável, especialmente no uso de combustível para transporte. O melhor exemplo disso, Luciano, é o etanol. Não sei se você sabe, mas as vans que estão transportando as delegações estrangeiras durante a conferência funcionam com um combustível de etanol de segunda geração, desenvolvido pela Petrobras. Veja só que interessante, Luciano, esse etanol é feito com bagaço da cana-de-açúcar – uma parte da cana que seria jogada fora ou queimada. Com esse novo combustível, aproveitamos melhor a cana e, com a mesma área plantada, vamos produzir 40% a mais de etanol. Mas o que é mais importante, Luciano, se você pode usar o bagaço de cana para produzir etanol, você pode usar o resto de qualquer outra produção de alimentos para produzir energia. Por quê? Porque este processo transforma celulose em açúcar e, assim, em etanol. E isso, Luciano, é uma revolução. Esse novo etanol é resultado de oito anos de pesquisa da Petrobras. Ele vai estar disponível nos postos de combustíveis brasileiros daqui a três anos. Portanto, essa é uma experiência-piloto que nós colocamos, com muito orgulho, na Rio+20. É uma demonstração da nossa capacidade de desenvolver tecnologias em favor do meio ambiente.

Luciano Seixas: E o que mais nós vamos apresentar na Rio+20?

Presidenta: Vamos mostrar, Luciano, que o nosso crescimento econômico é baseado em energia limpa e renovável produzida por usinas hidrelétricas e por biocombustíveis. E é por isso que, hoje, 45% dessa energia que nós usamos, tanto para gerar luz elétrica quanto para mover nossos automóveis e nossas máquinas, é renovável. Um percentual que nos deixa muito à frente do resto do mundo, que tem uma matriz concentrada em fontes fósseis e físseis de energia, ou seja, em energia de carvão, petróleo ou energia nuclear. Veja só a diferença, a média internacional do uso de fontes renováveis é 13%. O Brasil também vai mostrar a nossa mais valiosa experiência, reconhecida mundialmente, que foi reduzir a pobreza com crescimento econômico e proteção ao meio ambiente. Vamos mostrar, Luciano, que o Brasil dá uma contribuição muito importante para alimentar a humanidade, pois é um dos três maiores produtores de alimento do planeta e tem as maiores reservas de água doce da Terra. Somos grandes produtores agrícolas e plantamos com alta produtividade sem destruir o meio ambiente. Isso é sustentabilidade!

Luciano Seixas: Presidenta, infelizmente o nosso tempo hoje chegou ao fim. Obrigado por mais este “Café”.

Presidenta: Obrigada, Luciano. Boa semana para você e para os nossos ouvintes.

Luciano Seixas: Você que nos ouve pode acessar este programa na internet, o endereço é www.cafe.ebc.com.br. Nós voltamos na próxima segunda-feira, até lá.

 

Ouça a íntegra da entrevista (06min03s) da Presidenta Dilma