Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Café com a Presidenta > Café com a Presidenta > Programa de rádio “Café com a Presidenta”, com a Presidenta da República, Dilma Rousseff

Programa de rádio “Café com a Presidenta”, com a Presidenta da República, Dilma Rousseff

por Portal do Planalto publicado 26/03/2012 08h49, última modificação 03/11/2014 17h27
Presidenta Dilma fala sobre o Pronacampo (Programa Nacional de Educação no Campo), Programa de Educação em Tempo Integral, o Mais Educação

Rádio Nacional, 26 de março de 2012

 

Luciano Seixas: Olá, amigos! Eu sou o Luciano Seixas e começa agora mais um Café com a Presidenta Dilma. Bom dia, Presidenta!

Presidenta: Bom dia, Luciano! E bom dia a todos aqueles que nos acompanham!

Luciano Seixas: Presidenta, a senhora lançou, na semana passada, o Pronacampo, o Programa Nacional de Educação no Campo. Quais as novidades que o Pronacampo traz?

Presidenta: Olha, Luciano, nós vamos investir R$ 1,8 bilhão por ano para melhorar a educação no campo, beneficiando principalmente, Luciano, os pequenos agricultores, os produtores da Agricultura Familiar, os assentados da Reforma Agrária, e as comunidades quilombolas. As ações do Pronacampo, Luciano, vão desde a melhoria da infraestrutura nas escolas à formação dos professores. Trinta mil escolas vão receber recursos para manutenção e reformas, e outras 3 mil escolas, veja você, Luciano, serão construídas até 2014. Vamos também formar professores e oferecer cursos profissionalizantes aos nossos jovens e trabalhadores rurais, aumentando assim as oportunidades para que todos no campo, Luciano, melhorem de vida.

Luciano Seixas: É um plano audacioso, Presidenta.

Presidenta: É sim, Luciano, é um plano audacioso. Quase 30 milhões de brasileiros vivem no campo, são agricultores familiares, pequenos, médios e grandes produtores, que fazem do Brasil um dos maiores exportadores de alimentos do mundo. E, também, fazem do agricultor familiar um dos maiores produtores de alimentos para os brasileiros e as brasileiras. Nós queremos que esses agricultores e suas famílias tenham a oportunidade de estudar e conquistar uma profissão sem precisar deixar o campo. Uma das nossas ações será oferecer material didático com conteúdo diferenciado para as escolas rurais. A partir do ano que vem, os temas dos livros didáticos dessas escolas estarão relacionados com a realidade das pessoas que vivem no campo e, também, das comunidades quilombolas, valorizando os saberes da terra e o conhecimento de quem vive na área rural.

Luciano Seixas: O Pronacampo também vai resolver o problema do transporte dos estudantes nas áreas rurais, Presidenta?

Presidenta: Ah, vai sim, Luciano. Esse é um desafio para melhorar a educação no campo, porque as distâncias entre a casa e a escola podem ser grandes, e lá não há transporte coletivo acessível como ocorre nas cidades. É por isso que o governo federal vai entregar mais 8 mil ônibus e 2 mil lanchas para o transporte escolar, além de distribuir 180 mil bicicletas e capacetes para as crianças e os jovens do campo.

Luciano Seixas: E como vai ser a qualificação dos professores, Presidenta?

Presidenta: Ah, essa é uma parte muito importante do programa, Luciano. Nós, hoje, temos 342 mil professores na zona rural, mas, Luciano, apenas pouco mais da metade desses professores tem curso superior. Com o Pronacampo, a nossa meta é formar 145 mil professores até o ano de 2014.

Luciano Seixas: E como o Pronacampo vai apoiar a formação profissional dos jovens e adultos que já trabalham no campo?

Presidenta: Ah, Luciano, aí nós vamos oferecer 180 mil vagas do Pronatec para os trabalhadores do campo. Serão cursos em várias áreas: em agroecologia, fruticultura, zootecnia, piscicultura e apicultura, por exemplo.

Luciano Seixas: Presidenta, no começo do mês, a senhora falou aqui no Café sobre o Programa de Educação em Tempo Integral, o Mais Educação. Ele também vai chegar às escolas rurais?

Presidenta: Bem lembrado, Luciano. Veja você, 5 mil escolas do campo terão educação em tempo integral já neste ano de 2012. Com o Pronacampo, Luciano, nós vamos também construir escolas que contarão, inclusive, com alojamentos para estudantes e professores, para que possamos receber aqueles que moram muito longe da escola. Assim, é possível implantar as chamadas Escolas de Alternância, onde o estudante vai intercalar períodos de aula, que podem ser de uma semana ou um mês, por exemplo, e depois, outro período em casa, com a família.

Luciano Seixas: O Pronacampo, então, Presidenta, vai significar mais qualidade de vida para quem vive no campo, não é?

Presidenta: É isso aí, Luciano. Mais qualidade de vida e mais oportunidades para quem vive nas áreas rurais. No lançamento do Pronacampo, lá no Palácio do Planalto, eu me lembrei de um pequeno agricultor que visitei durante a campanha, perto de Brasília. Ele queria, e me disse, que o filho se tornasse um agricultor universitário, a história me emocionou muito, sabe por que, Luciano? Porque ela representa bem os sonhos de quem é pai e mãe e vive no campo. Quer que o seu filho estude, que ele se transforme em um agrônomo, em um veterinário sem que ele precise ir embora para a cidade, abandonar a sua família ou a tradição de produtor rural. A educação, sabe, Luciano, tem um papel estratégico, transformador, e ela precisa ser garantida a todos os brasileiros, sem exceção. O Pronacampo, ele faz parte do nosso esforço de garantir oportunidades para que, sobretudo, as novas gerações possam estudar, se desenvolver e transformar este país em uma grande nação.

Luciano Seixas: Presidenta, nosso programa de hoje chegou ao fim.

Presidenta: Uma boa semana para você e para os nossos ouvintes.

Luciano Seixas: Você que nos ouve pode acessar este programa na internet, o endereço é www.cafe.ebc.com.br. Nós voltamos na próxima segunda-feira, até lá!

 

Ouça a íntegra da entrevista (06min12s) da Presidenta Dilma