Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Café com a Presidenta > Café com a Presidenta > Programa de rádio “Café com a Presidenta”, com a Presidenta da República, Dilma Rousseff

Programa de rádio “Café com a Presidenta”, com a Presidenta da República, Dilma Rousseff

por Portal Planalto publicado 19/05/2014 08h20, última modificação 03/11/2014 17h27
Presidenta Dilma Rousseff fala sobre os investimentos que estão sendo feitos nos aeroportos de todo o país

Rádio Nacional, 19 de maio de 2014

 

Luciano Seixas: Olá, você, em todo o Brasil, eu sou o Luciano Seixas e começa agora mais um Café com a Presidenta Dilma. Bom dia, presidenta!


Presidenta: Bom dia, Luciano! E bom dia para você que nos acompanha hoje aqui no Café!


Luciano Seixas: Presidenta, hoje, eu queria conversar sobre os aeroportos brasileiros, que estão passando por uma grande transformação. Amanhã mesmo a senhora vai inaugurar um novo terminal no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, não é mesmo?


Presidenta: É verdade, Luciano. Amanhã, o aeroporto de Guarulhos, lá em São Paulo, que é o maior do Brasil, vai ganhar um terminal totalmente novo, moderno, confortável e com capacidade, Luciano, para receber 12 milhões de passageiros por ano. Este terminal é maior que os outros três que já operam em Guarulhos e que, em breve, serão reformados. O novo terminal tem 20 pontes de embarque e um pátio capaz de atender 34 aeronaves ao mesmo tempo, Luciano. Isso vai significar muito mais conforto e agilidade no embarque e desembarque de passageiros que viajam pelo Brasil ou chegam ou parte para o exterior. O melhor, Luciano, é que obras como essa estão sendo entregues nos aeroportos de todo o Brasil.


Luciano Seixas: É mesmo, presidenta?! Conta isso melhor para a gente.


Presidenta: Olha, Luciano, há investimento sendo feito nos aeroportos de todo o país. São obras de construção de novos terminais de embarque e desembarque, de reforma de terminais existentes, ampliação de pistas e pátios para movimentação das aeronaves, de aumento de estacionamentos, de modernização de esteiras de bagagens para dar alguns exemplos. Aqui em Brasília, eu inaugurei, em abril, o Pier Sul, e ainda este mês será inaugurado o Pier Norte. Os piers permitirão mais que dobrar o número de pontes de embarque, Luciano. No Galeão, por exemplo, a reforma dos terminais e a expansão do Terminal 2 elevaram em quase 80% a capacidade de atendimento dos passageiros. Em Manaus, a capacidade do aeroporto foi triplicada com a ampliação e a modernização do terminal de passageiros. No Aeroporto de Confins, lá em Minas Gerais, até o final do mês, vamos concluir as obras do Terminal 3, no pátio e a reforma do saguão do Terminal 1. Tanto o Aeroporto de Confins como o Aeroporto do Galeão vão ter outras obras de ampliação, mas elas não são para a Copa, serão obras permanentes para atender o aumento de passageiros que ocorre em todo o Brasil. Já em Cuiabá, as obras vão quadruplicar a capacidade de atendimento. E, no Rio Grande do Norte, teremos um aeroporto inteiramente novo já agora no mês de maio, construído pela iniciativa privada em São Gonçalo do Amarante – uma cidade vizinha de Natal.


Luciano Seixas: Esses investimentos são para responder ao crescimento de movimentação de passageiros que vai ocorrer com a Copa do Mundo?


Presidenta: Esses investimentos vão ser bons para a Copa, mas serão muito mais importantes para atender o crescimento da demanda no Brasil. Nos últimos anos, Luciano, viajar de avião passou a fazer parte do cotidiano de milhões de brasileiros. Para você ter uma ideia, de 2003 para cá, o número de passageiros nos aeroportos saltou de 33 para 111 milhões ao ano. Sabe por que isso está acontecendo, Luciano? Porque a renda dos brasileiros aumentou e isso lhes permite viajar de avião. Muitos milhões de brasileiros, pela primeira vez, passaram a usar o avião como meio de transporte pelo país afora. Nesse período, 42 milhões de pessoas passaram a fazer parte da classe média no Brasil. E, assim, gente que antes não utilizava o avião passou a poder frequentar os aeroportos. Até a década passada, os aeroportos só serviam a uma pequena elite, a uma pequena parcela da população, uns poucos privilegiados que andavam de avião. Agora não. Agora, no Brasil, os aeroportos atendem muito mais gente e os aviões se transformaram em um meio de transporte de massa. Quem passar hoje pelos aeroportos da maioria das nossas capitais vai notar que a poeira e o barulho estão diminuindo, e os tapumes estão sendo retirados para dar lugar a instalações modernas e confortáveis. É claro que eles vão servir à Copa, mas, além de tudo, eles são investimentos no bem-estar do nosso passageiro, no bem-estar desses milhões de brasileiros que passaram a ter renda suficiente para comprar sua passagem de avião e viajar. Garanto que os nossos aeroportos estão preparados para a Copa do Mundo. Vamos receber todos muito bem. E os brasileiros poderão ficar orgulhosos do Brasil que estamos construindo.


Luciano Seixas: As parcerias com operadores privados têm sido importantes para essa transformação nos aeroportos, não é mesmo, presidenta?


Presidenta: Bem lembrado, Luciano. Desde 2011, nós iniciamos uma política de concessão de nossos aeroportos que tem gerado resultados muito bons. Adotamos um modelo de gestão compartilhada, Luciano. Por esse modelo, a iniciativa privada assume a administração dos aeroportos e a Infraero, empresa do Estado, continua com uma participação importante, de 49%. Hoje, cinco dos maiores aeroportos do Brasil já funcionam neste modelo: Guarulhos, Brasília, Viracopos, Confins e Galeão. Esses aeroportos contam hoje, Luciano, com a experiência das maiores e melhores empresas de administração de aeroportos do mundo. O resultado dessa parceria já começa a ser percebido por aqueles que passaram no último mês pelo aeroporto de Brasília e, a partir de amanhã, passarem também por Guarulhos.


Luciano Seixas: Presidenta, e os aeroportos que ficam nas pequenas e médias cidades, há algum plano para modernizá-los?


Presidenta: Com certeza, Luciano! Com certeza! Nós estamos investindo R$ 7,3 bilhões na expansão de 270 aeroportos espalhados pelo interior deste país. O Brasil é um país enorme, que não pode depender apenas dos aeroportos das capitais ou das grandes cidades. Os aeroportos regionais, Luciano, vão descentralizar e facilitar o fluxo de passageiros. Assim, quem está longe dos grandes centros vai, progressivamente, poder pegar um avião a menos de 100 quilômetros de onde mora ou trabalha. Nós já concluímos os estudos de viabilidade de 163 aeroportos, e agora estamos na fase de elaboração dos projetos de engenharia. Os demais estudos vão prosseguir. No total, temos R$ 186 milhões em contratos de projetos já assinados e em execução. A partir de junho, começaremos as licitações para as obras, que vão prosseguir ao longo de todo o segundo semestre de 2014. Nós vamos também, Luciano, isentar os aeroportos regionais de todas as tarifas aeroportuárias e subsidiar as passagens aéreas para rotas originadas ou destinadas a esses aeroportos sempre que isso for necessário para garantir a regularidade dos voos. Vamos subsidiar 50% dos assentos ou até 60 assentos por aeronave para aproximar o preço da passagem de avião a dos ônibus e democratizar ainda mais o acesso ao transporte aéreo. Os recursos para todas essas ações nos aeroportos regionais vêm das concessões dos grandes aeroportos.


Luciano Seixas: Com muitos e modernos aeroportos, presidenta, não só o passageiro ganha, mas também a economia, não é mesmo?


Presidenta: Exatamente, Luciano. A ampliação do número de terminais estimula o turismo, facilita as viagens de negócio, aumenta a capacidade de transporte aéreo de cargas, aproxima famílias, conecta populações que viviam isoladas na imensidão do Brasil.


Luciano Seixas: Presidenta, infelizmente, o nosso tempo chegou ao fim. Obrigado por mais esse Café.


Presidenta: Luciano, antes de me despedir, eu quero dizer, mais uma vez, que nossos aeroportos estão preparados para oferecer um bom atendimento a todos que vierem assistir a Copa do Mundo. O mais importante é que eles estão ficando prontos para oferecer a nós mesmos, brasileiras e brasileiros, bons serviços, como merecemos e queremos. Luciano, muito obrigada. Uma boa semana para você e para os nossos ouvintes!


Luciano Seixas: Você que nos ouve pode acessar esse programa na internet, o endereço é www.brasil.gov.br. Nós voltamos na próxima segunda-feira. Até lá!

 

Ouça a íntegra da entrevista (09min08s) da Presidenta Dilma