Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Café com a Presidenta > Café com a Presidenta > Programa de rádio “Café com a Presidenta”, com a Presidenta da República, Dilma Rousseff

Programa de rádio “Café com a Presidenta”, com a Presidenta da República, Dilma Rousseff

por Portal do Planalto publicado 29/08/2011 08h43, última modificação 03/11/2014 17h26
A Presidenta Dilma conversa sobre o Crescer, um programa de microcrédito para pequenos empreendedores

Rádio Nacional, 29 de agosto de 2011

  

Luciano Seixas: Olá, eu sou o Luciano Seixas e estamos começando mais um “Café com a Presidenta”, o nosso encontro semanal com a presidenta Dilma Rousseff. Bom dia, Presidenta. Tudo bem com a senhora?

Presidenta: Tudo bem, Luciano. Bom dia para você e para todos os nossos ouvintes.

Luciano Seixas: Presidenta, a senhora lançou o Crescer, um programa de microcrédito para pequenos empreendedores. O que tem de novidade para quem quer produzir mais ou abrir um pequeno negócio?

Presidenta: Olha, Luciano, o crédito para as pessoas que têm ou querem ter um pequeno negócio ficou agora muito mais fácil e muito mais barato. A partir de agora, Luciano, o pequeno empreendedor que pegar dinheiro emprestado vai pagar uma taxa de juros bem mais baixa, de apenas 8% ao ano. Antes, Luciano, a taxa de juros chegava a 60% ao ano, agora baixou. Este crédito, assim barato, ele foi criado para as pessoas... por exemplo, uma costureira, que está precisando trocar a velha máquina de costura; para o pipoqueiro, que deseja adquirir um carrinho mais moderno; para o artesão, que está precisando comprar seu material de trabalho. É um crédito para quem precisa de um empurrãozinho. E eu queria te dizer qual é o tamanho do empurrãozinho: o tamanho é de R$ 15 mil por pessoa. A pessoa pode chegar no banco e tomar até R$ 15 mil para fazer tudo isso que nós falamos.

Luciano Seixas: Presidenta, além dos juros mais baixos do mercado, quais são as outras facilidades do Crescer?

Presidenta: Além dos juros, nós baixamos também a tarifa de abertura de crédito. Essa tarifa, Luciano, caiu de 3% para 1% do valor emprestado. Essas condições valem para todas as pessoas, como trabalhadores, empreendedores individuais, microempresários, enfim, também para aqueles que têm faturamento de até R$ 120 mil por ano. Outra novidade é que os quatro bancos públicos federais – o Banco do Nordeste, o Banco do Brasil, a Caixa e o Banco da Amazônia – vão se dedicar, e muito, ao atendimento dos pequenos empreendedores. A pessoa que fizer um empréstimo, ela vai receber uma orientação de um técnico do banco.

 Luciano Seixas: Que tipo de orientação, Presidenta?

 Presidenta: Essa orientação é para ajudar o empreendedor a planejar seus investimentos. O crédito não pode ser um peso, tem que ser uma alavanca, para impulsionar os pequenos negócios. Na semana passada, no dia do lançamento do programa Crescer, eu estive com a dona Izabel Cândido, uma cearense, guerreira, que é um exemplo de como o crédito orientado pode dar um grande impulso à vida de uma pessoa. Ela contou que, em 2005, tirou um empréstimo de R$ 250 do Banco do Nordeste para começar um pequeno negócio de venda de cosméticos. Com a orientação do pessoal do banco, foi ampliando o negócio. Hoje a dona Izabel tem uma loja, com estoque avaliado em R$ 25 mil. Isso quer dizer que ela multiplicou por cem aquele primeiro empréstimo, de R$ 250, e conquistou, Luciano, a estabilidade financeira que ela sempre sonhou.

Luciano Seixas: Quantas pessoas, Presidenta, a senhora acredita que poderão ter acesso a esse tipo de crédito?

Presidenta: Eu acredito que muitas pessoas vão ter acesso a esse tipo de crédito. Até 2013, Luciano, os nossos bancos vão trabalhar para que 3,5 milhões de pessoas tenham oportunidade de obter o seu microcrédito. Serão R$ 3 bilhões, só para começar. Não faltarão recursos, Luciano, para o Microcrédito Produtivo Orientado.

Luciano Seixas: É verdade que as mulheres são maioria entre as pessoas que tomaram empréstimo pelo microcrédito?

Presidenta: É, sim, Luciano. O sucesso da dona Izabel não é único. O microcrédito tem sido muito usado pelas mulheres desde que foi criado, no governo do presidente Lula. Seis em cada dez pessoas que pegaram o microcrédito são mulheres.

Luciano Seixas: Considerando que muitos lares são sustentados por mulheres, faz diferença, não é, Presidenta?

Presidenta: Ah, Luciano, faz diferença, sim, na vida das mulheres e na vida das famílias mais pobres. O crédito simplificado, sem exigência de muita papelada, barato e orientado, pode ajudar a elevar o padrão de vida da população de baixa renda. O Crescer vai além do Brasil sem Miséria, mas é também um instrumento importante para esse Programa, porque vai ajudar a criar novos empregos e novas oportunidades.

Luciano Seixas: Qual a relação do Microcrédito Produtivo Orientado, o Crescer, com aquele outro programa que a senhora lançou, do Microempreendedor Individual?

Presidenta: Veja só, Luciano, que casamento perfeito. Estamos reduzindo o tributo com o MEI, e ampliando o crédito, com juros menores, e garantindo assistência técnica, com o Microcrédito Produtivo Orientado. O impacto é enorme. O microcrédito vai criar novos empregos e novas oportunidades para milhões de brasileiros. Com o Crescer, os pequenos empreendedores brasileiros terão oportunidade de realizar o sonho de terem seu próprio negócio e de conquistarem uma vida melhor, com liberdade e autonomia.

Luciano Seixas: Obrigado, Presidenta. Chegamos ao final do nosso encontro de hoje. Até a semana que vem.

Presidenta: Olha, Luciano, muito obrigada a você. E uma boa semana a todos que nos acompanharam neste bate-papo, hoje.

 Luciano Seixas: Você pode acessar este programa na internet, o endereço é www.cafe.ebc.com.br. Voltamos segunda-feira, até lá.

 

Ouça a íntegra da entrevista (06min18s) da Presidenta Dilma no programa Café com a Presidenta