Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Café com a Presidenta > Café com a Presidenta > Programa de rádio “Café com a Presidenta”, com a Presidenta da República, Dilma Rousseff

Programa de rádio “Café com a Presidenta”, com a Presidenta da República, Dilma Rousseff

por Portal planalto publicado 16/12/2013 08h25, última modificação 03/11/2014 17h27

 

Rádio Nacional, 16 de dezembro de 2013


Luciano Seixas: Olá, bom dia! Eu sou o Luciano Seixas e começa agora mais um Café com a Presidenta Dilma. Bom dia, presidenta!


Presidenta: Bom dia, Luciano! E bom dia para você que nos acompanha no Café hoje!


Luciano Seixas: Presidenta, hoje, eu queria falar sobre um programa que está fazendo uma enorme diferença na vida das crianças e dos jovens, principalmente daqueles que vivem nas áreas rurais do nosso país. É o programa Caminho da Escola.


Presidenta: Luciano, o programa Caminho da Escola está mudando a vida de muita gente. Só no meu governo, nós oferecemos transporte escolar de graça, seguro e confortável para mais de 1 milhão de crianças e jovens de todo o país. Nós repassamos, a fundo perdido, os recursos para os estados e as prefeituras comprarem quase 17 mil ônibus escolares. Esses ônibus, Luciano, estão ajudando a manter as nossas crianças na sala de aula. Somados aos financiamentos realizados no período do governo Lula e ao esforço dos estados e dos municípios, o Caminho da Escola atende, hoje, 1,9 milhão de alunos. A maioria dessas crianças e desses jovens vive em comunidades do interior e em áreas rurais, e frequentam escolas públicas nas cidades ou lá mesmo, na área rural. Antes do Caminho da Escola, muitos desses alunos tinham de fazer longas caminhadas a pé ou eram transportados em veículos improvisados, sem nenhuma segurança. Eles iam nas carrocerias das caminhonetes, nos caminhões pau-de-arara e até no lombo de burros. A falta de um bom transporte desestimulava, muitas vezes, os estudantes e, às vezes, até os impedia de chegar à escola. Com o tempo, muitos acabavam abandonando a escola, Luciano, veja você que problema. E isso nós sabemos que não pode acontecer de jeito nenhum, não é, Luciano. Agora, não há mais razão para não ir à escola. Quem anda pelo interior do nosso país pode ver os ônibus amarelinhos do Caminho da Escola, novos e confortáveis, levando as crianças com segurança, ajudando a reduzir as faltas, os atrasos e a evasão escolar.


Luciano Seixas: E como é que são esses ônibus do Caminho da Escola, presidenta?


Presidenta: Olha, Luciano, os ônibus do Caminho da Escola foram fabricados especialmente para o transporte seguro das nossas crianças. Eles são totalmente preparados para circular nas estradas de terra, estejam elas nas condições em que estiverem. Isso porque os modelos que nós desenvolvemos e compramos são muito mais robustos do que os ônibus convencionais. Inclusive, alguns deles são 4x4, com tração nas quatro rodas, feitos justamente para enfrentar atoleiros e buracos que podem aparecer nas estradas de terra no período das chuvas. Assim, mesmo quando chove muito, os ônibus do Caminho da Escola estão lá todos os dias transportando as crianças com segurança. Só para você ter uma ideia, dos quase 17 mil ônibus do Caminho da Escola que nós distribuímos no meu governo, quase 15 mil estão nas áreas rurais do país, porque é lá que as crianças enfrentam as maiores dificuldades para chegar à escola.


Luciano Seixas: Eu posso imaginar, presidenta, como o Caminho da Escola mudou a vida delas.


Presidenta: Pois é, Luciano. Olha só o que aconteceu na cidade de Ipu, no Ceará. A Francisca Roseane, de 16 anos, contou para a gente que, antes do ônibus do Caminho da Escola chegar em Ipu, ela tinha que sair de casa às 5h30 da manhã para não chegar atrasada na aula. Veja bem o sacrifício dela, Luciano, caminhava quase duas horas todos os dias para ir e voltar da escola. A Francisca falou que já chegava desanimada, cansada e que alguns colegas até desistiram de estudar tamanha era a dificuldade. Mas, há dois anos, um ônibus do Caminho da Escola chegou na área rural de Ipu e tudo, tudo melhorou, Luciano. A caminhada de duas horas ficou lá no passado e, agora, a Francisca vai de ônibus, sentadinha, e chega à escola em apenas 20 minutos. O ônibus vai passando e pegando o pessoal de casa em casa. Ela disse que, nesses dois anos, o ônibus nunca atrasou, nunca deixou de passar. E, com o transporte do Caminho da Escola, muitos jovens da região se animaram e voltaram para a sala de aula.


Luciano Seixas: Que coisa boa! E tem ônibus do Caminho da Escola circulando também na cidade, presidenta?


Presidenta: Tem sim, Luciano. Tem sim. Só no meu governo, nós repassamos recursos para a compra de quase 2 mil novos ônibus escolares para circular nas cidades. Esses ônibus, Luciano, levam as crianças com deficiência para a escola e fazem parte do programa Viver sem Limite. Todos eles têm plataforma elevatória para garantir o acesso das cadeiras de rodas, por exemplo. Esses ônibus do Caminho da Escola têm ajudado as crianças com deficiência a ir estudar e a permanecer na escola. E as mães, Luciano, ficam muito mais tranquilas. Olha só o exemplo da Rafaela Santos, que tem sete anos e mora em Sobradinho, aqui em Brasília. A Rafaela tem deficiência múltipla e frequenta uma escola a 20km de casa. Antes, ela ia em uma van, que já era bem antiga, vivia na manutenção e, às vezes, não passava para pegar a Rafaela. Até que chegou a Sobradinho o ônibus acessível do Caminho da Escola, e a Rafaela e as outras crianças com deficiência passaram a ir para a escola todos os dias no mesmo horário e com muito mais conforto e segurança. Além disso, Luciano, o motorista e o ajudante são os mesmos que faziam o transporte na van, eles já conhecem cada uma das crianças e isso é uma tranquilidade a mais para as mães. Aliás, Luciano, eu queria aproveitar o Café para pedir aos pais que têm filhos no Caminho da Escola que procurem conhecer e conversar com o motorista e o ajudante que levam o seu filho para a escola. Observem se as crianças estão usando o cinto de segurança direitinho e garantam que cada uma delas vá sentada. E mais uma coisa, Luciano, eu quero pedir que todos, pais, professores e a comunidade, todos, todos fiquem de olho, porque os ônibus do Caminho da Escola devem ser usados só para transportar as crianças e os jovens para a escola. A gente, que é mãe, que é avó, sabe que a segurança das nossas crianças é responsabilidade de todos nós: governo, família e comunidade.


Luciano Seixas: E o Caminho da Escola não tem só ônibus, não é, presidenta?


Presidenta: Ah, é verdade, Luciano. O Caminho da Escola tem lancha e bicicleta também. Isso porque o Brasil é muito grande, as regiões são muito diferentes e as necessidades de transporte também. Em alguns lugares tem que ter lancha. As lanchas do Caminho da Escola atendem as regiões ribeirinhas, principalmente na Região Norte, onde há rios grandes no caminho das crianças até a escola. Então, nós doamos para os municípios 915 lanchas para o transporte das crianças, e isso principalmente no Pará e no Amazonas. Todas essas lanchas, Luciano, substituem embarcações antigas, canoas e barcos a remo, oferecendo muito mais segurança e rapidez para as nossas crianças. Lá em Santarém, no Pará, por exemplo, cerca de mil crianças das comunidades ribeirinhas vão para a aula nas lanchas novas do Caminho da Escola. O que é importante é que essas lanchas conseguem entrar nos igarapés e pegar as crianças na porta de casa. Antes, muitas crianças de Santarém tinham que arregaçar as calças e atravessar os igarapés para tomar o barco na beira do rio para poder, então, ir para a escola. Veja só, Luciano, a dificuldade. Agora não. Agora, as lanchas novas reduziram pela metade o tempo que as crianças levam para cruzar o rio e chegar até a escola.


Luciano Seixas: A senhora falou que o Caminho da Escola também distribui bicicletas.


Presidenta: Distribui sim, Luciano. Desde 2011, nós já distribuímos quase 100 mil bicicletas para as crianças de municípios com até 20 mil habitantes que moram longe da escola. Fizemos isso porque, nas cidades do interior, às vezes, as crianças chegam a andar mais de 10km até a escola ou até o ponto de ônibus. Como os ônibus, Luciano, as bicicletas do Caminho da Escola também são padronizadas, têm quadro reforçado, selim anatômico, paralamas e bagageiro, além dos itens de segurança, como espelho retrovisor, campainha e refletores. A nossa preocupação com a segurança das crianças é tão grande, Luciano, que, junto com a bicicleta, cada aluno também recebe um capacete.


Luciano Seixas: É, presidenta, pelo que a gente está vendo com o Caminho da Escola, o governo dá um grande passo para manter as crianças na escola, não é?


Presidenta: É verdade, Luciano. Eu sempre digo que a educação é o nosso passaporte para o futuro e também para o presente. Trabalhamos para que todas as crianças brasileiras, seja qual for o nível de renda de suas famílias, possam estudar e se desenvolver, porque é isso que importa. Por isso, a nossa prioridade, Luciano, tem sido atender as regiões mais pobres, aquelas que mais precisam. Veja, Luciano, que mais de 1/3 dos ônibus do Caminho da Escola foram distribuídos para as cidades do interior do Nordeste. Nós sabemos que garantir o transporte escolar seguro e de qualidade é um passo importantíssimo para diminuir as diferenças de oportunidade, inclusive a diferença entre a educação da cidade e do campo. Todas as crianças brasileiras, Luciano, todas elas, vivam elas nas cidades, nas áreas rurais ou em qualquer canto deste país, têm o direito de estudar, se qualificar, ter uma vida melhor e ter um belo futuro.


Luciano Seixas: Que programa interessante para a gente conhecer melhor esse nosso Brasil, presidenta. Agora, é uma pena, mas o nosso tempo chegou ao fim. Obrigado por mais esse Café.


Presidenta: Obrigada, Luciano. Uma boa semana e um abraço para os nossos ouvintes.


Luciano Seixas: E você que nos ouve pode acessar o Café com a Presidenta na internet, o endereço é www.cafe.ebc.com.br. Nós voltamos na próxima segunda-feira. Até lá!

 

Ouça a integra da entrevista (10min58s) da Presidenta Dilma