Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Brasil em Pauta > Brasil em Pauta > Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe é tema do Brasil em Pauta desta sexta-feira

Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe é tema do Brasil em Pauta desta sexta-feira

por Portal Planalto publicado 28/04/2016 17h09, última modificação 28/04/2016 17h09

O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Antonio Nardi, é o convidado do programa Brasil em Pauta desta sexta-feira (29), que vai ao ar das 8h às 8h30. Na pauta, a Campanha Nacional de Vacinação contra os Vírus da Influenza e a mobilização nacional para incentivar as meninas de 9 a 13 anos a se vacinarem contra o HPV. O programa, que tem a participação de radialistas de todo o País, é produzido e coordenado pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República e será transmitido, ao vivo, pela TV NBR e via satélite de rádio por meio do mesmo canal de A Voz do Brasil.

 

A chegada do inverno no Hemisfério Sul requer atenção redobrada para as doenças respiratórias, como a gripe. Por isso, o Ministério da Saúde lançou, nesta semana, a Campanha Nacional de Vacinação contra os Vírus da Influenza, sendo sábado (30) o dia D de mobilização nacional. O público-alvo da campanha, que segue até 20 de maio, é de 49,8 milhões de pessoas. A meta do Ministério da Saúde é vacinar, pelo menos, 80% desta população, considerada de risco para complicações por gripe.

 

São integrantes deste grupo pessoas a partir de 60 anos; crianças de seis meses a menores de cinco anos (quatro anos, 11 meses e 29 dias); trabalhadores de saúde; povos indígenas; gestantes; puérperas (até 45 dias após o parto); pessoas privadas de liberdade – o que inclui adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas – e os funcionários do sistema prisional. As pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis, que inclui pessoas com deficiências específicas, também devem se vacinar. Para esse grupo não há meta específica de vacinação.                                

 

Desde 1º de abril deste ano, o Ministério da Saúde está enviando aos estados doses da vacina contra a influenza de 2016. Até o momento, 22 estados optaram por antecipar a vacinação para alguns grupos do público-alvo. Vale ressaltar que, a partir do recebimento das vacinas, os gestores locais têm autonomia para definir estratégias de vacinação da população-alvo, observando a reserva adequada do produto para a campanha nacional.

 

Ao todo, serão distribuídas 54 milhões de doses da vacina, que protege contra os três subtipos do vírus da gripe determinados pela OMS para este ano (A/H1N1; A/H3N2 e influenza B).  Em todo o país, serão 65 mil postos de vacinação, com envolvimento de 240 mil profissionais de saúde. Também estarão disponíveis para a mobilização 27 mil veículos terrestres, marítimos e fluviais.

 

A vacina contra gripe é segura e reduz as complicações que podem produzir casos graves da doença, internações ou, até mesmo, óbitos. Estudos demonstram que a vacinação pode reduzir entre 32% a 45% o número de hospitalizações por pneumonias e de 39% a 75% a mortalidade por complicações da influenza.

 

HPV

 

O Ministério da Saúde também está realizando uma mobilização nacional para incentivar as meninas de 9 a 13 anos a se vacinarem contra o HPV. A meta é vacinar cerca de 1,7 milhão de meninas de nove anos em todos os 5.570 municípios do país e também incluir as de 10 a 13 anos que ainda não se vacinaram ou não completaram as duas doses necessárias para a efetiva imunização.

 

A vacina HPV quadrivalente faz parte do calendário nacional e está disponível em cerca de 36 mil  salas de vacinação de todo o país. Além disso, as meninas poderão ser vacinadas nas escolas públicas e particulares. A recomendação do ministério é que as secretarias de saúde articulem junto às de educação a operacionalização das ações junto às escolas.

 

Além das adolescentes de 9 a 13 anos, o que inclui também a população indígena na mesma faixa etária, também devem receber a vacina meninas e mulheres vivendo com HIV/Aids de 9 a 26 anos. Atualmente existem no Brasil cerca de 59 mil mulheres de 15 a 26 anos vivendo com HIV e Aids. Para esse público, o esquema vacinal consiste na administração de 3 (três) doses. A segunda dose deve ser administrada dois meses depois da primeira e, a terceira, seis meses após a primeira (0, 2 e 6 meses).

 

O Ministério da Saúde investiu R$ 1,1 bilhão para a compra de 32 milhões de doses nos últimos três anos. A vacina adotada pelo Ministério da Saúde é a quadrivalente, que confere proteção contra quatro subtipos de HPV (6; 11; 16 e 18). Esta vacina é destinada exclusivamente à utilização preventiva e não tem efeito demonstrado nas infeções pré-existentes ou na doença clínica estabelecida.

 

Participam do programa as seguintes rádios:730 AM (Goiânia/GO); Cultura AM (Foz do Iguaçu/PR); Rio de Janeiro 1400 AM (Rio de Janeiro/RJ); Tropical 790 AM (Lagoa da Prata/MG); Grande FM (Dourados/MS); Eldorado 570 AM e 89.5 FM (Criciúma/SC); Cultura Riograndina 740 AM (Rio Grande/RS); e Nova Paraisópolis (São Paulo/SP)..

 

O Brasil em Pauta é transmitido ao vivo pela TV NBR. Para as rádios, o sinal de transmissão é disponibilizado pelo mesmo canal de "A Voz do Brasil". Após o programa, o áudio da entrevista estará disponível no site da Secretaria de Imprensa da Presidência da República.

 

Mais informações

Secretaria de Imprensa / Presidência da República

Tel.: (61) 3411-1370

regional.imprensa@presidencia.gov.br

 

Confira as ações do governo federal no combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika. Acesse: combateaedes.saude.gov.br

 

Acompanhe e transmita no seu site os eventos da Presidência da República ao vivo e na íntegra. Acesse: http://ebcservicos.com.br/tvnbr