Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Bom Dia Ministro > Bom Dia Ministro > No Bom Dia Ministro, Mendes Ribeiro Filho fala sobre o combate à febre aftosa e a força da agricultura brasileira no mundo

No Bom Dia Ministro, Mendes Ribeiro Filho fala sobre o combate à febre aftosa e a força da agricultura brasileira no mundo

por Portal do Planalto publicado 18/04/2012 14h29, última modificação 04/07/2014 14h59
A campanha de vacinação nacional faz parte das ações do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção contra a Febre Aftosa que buscam fortalecer a estrutura dos serviços veterinários oficiais em todo país

 

O Bom Dia Ministro desta quinta-feira (19) entrevista o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Mendes Ribeiro Filho. No programa, Mendes falará sobre as ações de combate à febre aftosa no Brasil e o início da vacinação de rebanhos em alguns estados. Além disso, abordará o impacto da agricultura brasileira no país e no mundo. A entrevista é produzida e coordenada pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, e transmitida ao vivo pela TV NBR e via satélite, das 8h às 9h.

O agronegócio é, sem dúvida, o grande motor da economia do país e o grande responsável pelo superávit da balança comercial brasileira. Se o Brasil não tivesse essa contribuição do agronegócio, o país não teria o grande acúmulo de reservas que tem atualmente. O agronegócio representa cerca de 22,3% do PIB brasileiro. A agricultura responde por 70,4% do PIB do setor e a pecuária, por 29,6%.  O setor emprega cerca de 30 milhões de pessoas, sendo que entre 16 e 17 milhões encontram-se no setor primário e o restante distribuído pelos diversos segmentos que compõem o agronegócio.

No comércio internacional, a expectativa brasileira é de que, até 2020, a produção nacional de carnes seja capaz de suprir 44,5% do mercado mundial. A de carne de frango alcance 48,1% das exportações mundiais e que a participação da carne suína represente 14,2%.

Febre aftosa – O governo federal deu início à vacinação de rebanhos brasileiros contra a febre aftosa. Nesta semana, teve início a vacinação de bovinos e búfalos da Bahia e do rebanho com até dois anos de idade de Rondônia contra a febre aftosa. Rondônia segue o calendário previsto pelo Ministério da Agricultura, mas os pecuaristas baianos iniciaram a aplicação da vacina mais cedo, em razão da seca que atinge a região.

A segunda etapa da campanha – que prevê a imunização de todos os bovinos e búfalos de Rondônia – ocorrerá de 15 de outubro a 15 de novembro. Na Bahia, a mesma fase será realizada no mês de novembro, mas somente os animais com idade abaixo de 24 meses serão vacinados.

Outro estado que sofreu mudanças no cronograma inicial foi Mato Grosso do Sul. Desde o dia 1º de abril, o rebanho da região de fronteira internacional com o Paraguai e a Bolívia – formado por aproximadamente 7.300 estabelecimentos e 800 mil cabeças – está sendo vacinado. A campanha, que segue até 30 de abril, foi adiantada para aumentar a fiscalização na área, visto os recentes focos de febre aftosa registrados do lado paraguaio. O restante do território sul-mato-grossense receberá a vacina a partir de 1º de maio.

A campanha de vacinação nacional faz parte das ações do Programa Nacional de Erradicação e Prevenção contra a Febre Aftosa que buscam fortalecer a estrutura dos serviços veterinários oficiais em todo país. O objetivo do Ministério é avançar no território brasileiro para ser um território livre de aftosa até 2013.

Regionalização - A regionalização prevista pelo Ministério da Agricultura vai contribuir para um melhor acompanhamento e avaliação técnica das atividades, garantindo a qualidade dos serviços veterinários e a sanidade dos rebanhos em todo o Brasil. As características do Brasil, que tem dimensões continentais e as mais diversas condições ambientais, culturais, sócio-econômicas e de sistemas produtivos pecuários distintos, constituem verdadeiros desafios aos técnicos e gestores de programas sanitários. É necessário um profundo conhecimento das particularidades e dos interesses e costumes das comunidades de cada região, bem como da dinâmica da produção e comercialização de animais e produtos para se definir ações e estratégias que atendam aos interesses locais, regionais e do país como um todo.

Em regiões de fronteira internacional, por exemplo, o Ministério da Agricultura deve realizar atendimento diferenciado, investindo mais recursos, tanto físicos como financeiros, para minimizar a possibilidade de entrada de agentes infecciosos. Além disso, o governo deve realizar um trabalho de inteligência em parceria com a Agência Brasileira de Inteligência – ABIN, para antecipar possíveis problemas na região, que possam impactar o agronegócio brasileiro.

Participam do programa, ao vivo, as rádios: Globo (Cascavel/PR); Tocantins AM (Porto Nacional/TO); Chiru AM e FM (Palitinho/RS); Difusora 640 AM (Goiânia/GO); Caiari AM (Porto Velho/RO); Santa Catarina (Tubarão/SC); Jangadeiro FM (Fortaleza/CE); Clube Rondonópolis 930 AM (Rondonópolis/MT); Vale do Taquari (Caxim/MS); Pioneira AM (Teresina/PI); Veneza FM (Caxias/MA); Super Rádio Tupi (São Paulo/SP); Bahia Nordeste 950 AM (Paulo Afonso/BA); Cidade FM (Altamira/PA); Marano FM (Garanhuns/PE); e 100,3 FM Itatiaia (Montes Claros/MG).

O programa é transmitido ao vivo pela TV NBR e pode ser acompanhado por meio do link no site da Secretaria de Imprensa da Presidência da República. Para as rádios, o sinal de transmissão é disponibilizado pelo mesmo canal da "Voz do Brasil". Após o programa, o áudio da entrevista estará disponível no site da Secretaria de Imprensa da Presidência da República.

 

 

Mais informações
Secretaria de Imprensa: (61) 3411-1370

Ouça a íntegra da entrevista (52min23s) do ministro Mendes Ribeiro Filho

Assunto(s): Governo federal