Você está aqui: Página Inicial > Mandatos de Dilma Rousseff (2011-2015 e 2015-2016) > Bom Dia Ministro > Bom Dia Ministro > No Bom Dia Ministro, Alexandre Padilha fala sobre as ações SOS Emergências e Melhor em Casa

No Bom Dia Ministro, Alexandre Padilha fala sobre as ações SOS Emergências e Melhor em Casa

por Portal do Planalto publicado 09/11/2011 11h19, última modificação 04/07/2014 15h16
O programa Melhor em Casa contribuirá para desocupar os leitos hospitalares, proporcionando um melhor atendimento e regulação dos serviços de urgência dos hospitais e o SOS Emergências é uma ação estratégica para qualificar a gestão e o atendimento em grandes hospitais que atendem pelo SUS

 

O Bom Dia Ministro desta quinta-feira (10/11) entrevista o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. No programa, o Ministro abordará o programa Melhor em Casa, que ampliará o atendimento domiciliar no Sistema Único de Saúde (SUS), e o SOS Emergências, que qualifica a gestão e o atendimento nos grandes hospitais brasileiros. A entrevista é produzida e coordenada pela Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República, e transmitida ao vivo pela NBR TV e via satélite, das 8h às 9h.

O SOS Emergências é uma ação estratégica para qualificar a gestão e o atendimento em grandes hospitais que atendem pelo SUS. O programa integra a Rede Saúde Toda Hora e deverá alcançar, até 2014, os 40 maiores prontos-socorros brasileiros de todos os estados, além do Distrito Federal. A ação tem início em 11 hospitais de grande porte, localizados em nove capitais: Instituto Dr. José Frota (Fortaleza - CE), Hospital da Restauração (Recife - PE), Hospital Estadual Roberto Santos (Salvador - BA), Hospital de Urgências (Goiânia - GO), Hospital de Base (Distrito Federal - DF), Hospital João XXIII (Belo Horizonte - MG), Santa Casa e Hospital Santa Marcelina (São Paulo - SP), Hospital Miguel Couto e Hospital Albert Schweitzer (Rio de Janeiro - RJ) e Grupo Hospitalar Conceição (Porto Alegre - RS). Esses hospitais são referências regionais, possuem mais de 200 leitos, têm pronto-socorro e realizam grande número diário de internações e atendimentos ambulatoriais.

Cada um dos 11 hospitais receberá investimentos do Ministério da Saúde para custear a ampliação e qualificação da assistência da emergência, com medidas como aquisição de equipamentos e realização de obras e reformas na área física do pronto-socorro, conforme necessidade e aprovação de proposta encaminhada ao Ministério da Saúde.

Por meio da estratégia SOS Emergências, serão feitas parcerias com o Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into) e com os seis Hospitais de Excelência no Brasil – Sírio Libanês, Albert Einstein, Hospital do Coração, Samaritano, Alemão Osvaldo Cruz e Moinhos de Vento - para ampliar a qualidade do atendimento realizado. A principal contribuição será por meio do Telessaúde, ferramenta de comunicação a distância que presta teleconsultoria e segunda opinião médica, além discussão de casos com equipe multiprofissional. Todos os 11 hospitais terão pontos do Telessaúde instalados. Os Hospitais de Excelência também vão contribuir com a capacitação de profissionais e apoio à gestão hospitalar. As universidades e as sociedades de especialidades também serão convidadas para contribuir com o projeto dos hospitais.

Melhor em Casa - O Melhor em Casa, que pretende ampliar ao atendimento domiciliar no SUS, também representará avanços para a gestão de todo o sistema público. O programa contribuirá para desocupar os leitos hospitalares, proporcionando um melhor atendimento e regulação dos serviços de urgência dos hospitais. Com isso, pessoas com necessidade de reabilitação motora, idosos, pacientes crônicos sem agravamento ou em situação pós-cirúrgica, por exemplo, terão assistência gratuita em seus lares, com cuidados mais próximos da família.

O atendimento será feito por equipes multidisciplinares, formadas prioritariamente por médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e fisioterapeuta. Outros profissionais (fonoaudiólogo, nutricionista, odontólogo, psicólogo e farmacêutico) poderão compor as equipes de apoio. Cada equipe poderá atender, em média, 60 pacientes simultaneamente.

Até 2014, serão implantadas em todas as regiões do país 1.000 equipes de Atenção Domiciliar e outras 400 equipes de apoio. O Ministério da Saúde investirá R$ 1 bilhão para custear o atendimento dessas equipes. Os recursos também poderão ser utilizados para a manutenção dos serviços (compra de equipamentos, aquisição de medicamentos e insumos). O Ministério da Saúde vai repassar, neste ano, a estados e municípios R$ 8,6 milhões para a atividade de 250 equipes e manutenção dos serviços.

Participam do programa, ao vivo, as rádios: Tupi (Rio de Janeiro/RJ); Verdes Mares (Fortaleza/CE); CBN (São Paulo/SP); Excelsior AM (Salvador/BA); Amanhecer FM Canidé (São Francisco/SE); Amazonas FM (Manaus/AM); Itatiaia (Belo Horizonte/MG); Universidade 106,9 FM (São Luís/MA); Gazeta AM (Cuiabá/MT); Nova Aliança (Brasília/DF); Boas Novas 580 AM (Recife/PE); Massa FM (Curitiba/PR); Gaúcha AM (Porto Alegre/RS); Jornal 820 AM (Goiânia/GO) e Belém FM (Belém/PA).

O Bom Dia Ministro é transmitido ao vivo pela NBr TV e pode ser acompanhado por meio do link no portal da Presidência da República. Para as rádios, o sinal de transmissão é disponibilizado pelo mesmo canal da "Voz do Brasil". Após o programa, o áudio da entrevista estará disponível no portal da Presidência da República.

 

Ouça a íntegra da entrevista (59min28s) do ministro Alexandre Padilha no programa Bom Dia Ministro

 

Mais informações:
Secretaria de Imprensa (61) 3411-1370